213.136.68.210
 

Formação 100% Online Ao Vivo com Mentoria Individual

para ser um Coach Comportamental 360º


Para quem nunca foi coach ou para coaches com pouca ou muita experiência a terem domínio em destravar a mentalidade de qualquer cliente, de qualquer perfil comportamental, referente a qualquer padrão de personalidade, em qualquer nível de padrão, desde que saudável mentalmente, que você aprenderá a avaliar e descobrir previamente.

 

 

Após ter a segurança com maior autoconsciência emocional, para reconhecer e administrar as suas próprias emoções, terá estratégias absurdamente práticas para lidar com você e com quem te contratar.

 

 

Consequente, ficará muito mais fácil, destravar seu cliente, antes de aplicar qualquer processo direcionado para qualquer objetivo, nicho, sub nicho, micro nicho, nano nicho, que atue ou que ainda precise escolher, ou até, quem sabe,  inventar um nicho.

 


Mesmo que você nunca fez alguma formação em coaching, ou você que tenha feito um, cinco, TODOS os cursos ou formações existentes atualmente no Brasil ou com qualquer gringo que você por acaso teve como instrutor ou mentor.

 

 

Porque eu afirmo isso? Por que aconteceu isso com todos os coaches que passaram por minha Formação com Mentoria Individual. Só eu que faço isso no planeta... se não me conhece, leia minha história Aqui

 

Quem não fez nenhuma formação tradicional, além de não se frustrar e jogar seu dinheiro fora, vem pra cá, sem as crenças implantadas dos players de mercado, que se tornaram estrelas, com a ajuda do marketing digital mais agressivo e... Depois eu conto...

 

 

Ensinam a viver de coaching, sem nunca ter vivido de fato do coaching, ou atendeu por pouco tempo, etc. Outra hora eu vomito como a indústria milionária do coaching te enrola.

 

 

DEPOIS EU CONCLUO... AGUARDE!

Eu e minha amada filha, Camila Lachovski

Um pouquinho de minha

História... 

 
 
A Intensidade da Minha Existência...

 

 

Gosto de emocionar-me com a beleza do sofisticado ou do simples, do muito ou do pouco, mas é do pouco que ficou marcada em minha lembrança de um parco sanduíche dividido entre eu e meus três filhos, numa disputa infernal e barulhenta de que eu mais gosto de lembrar.

 

 

Já frequentamos um hotel luxuoso onde os pilotos de Formula 1 se hospedam e pulamos muito sobre as camas com a temperatura escolhida por nós, mas é do frio e da barraca onde acampamos e buscamos por lenha no mato para nos aquecer que ficou gravado com mais intensidade em minha lembrança.

 

 

Já tive a mulher da minha vida e senti o prazer de um amor tão intenso que me apaixonei por mim mesmo depois de entender que o amor que eu sentia era só meu mesmo e ela era um meio para que eu experimentasse esse amor, então esse amor por essa mulher pode ser lembrado  pacificamente dentro de mim, agora sei ter orgulho do que eu senti, sem me machucar mais. Pois aprimorei o amar.

 

 

Do simples Led Zeppelin tocando “Stairway to Heaven” depois de mais de 40 anos ou algo mais complexo como The Piano Guys tocando “Beethoven’s 5 Secrets”.. Porém sem ser refém nem de uma coisa nem de outra, porque ser feliz é possuir liberdade de sentir o amor, e o amor está entre o primeiro suspiro e o último que damos. Amor pra mim é isso... Esse momento, nesse instante fecundo como diria Mercedes Sosa em “Volver a los diecisiete” .É  um ciclo de vida...

 

 

Até que não exista mais nada de mim que me faça ser lembrado... Mesmo assim, meu amor estará impregnado em meus filhos, netos, bisnetos e quem sabe, tártara netos. Em alguma coisa, em alguma molécula ao menos, pois eu vivi intensamente nesse mundo, do jeito que eu acreditava.

 

 

Porque ao 'morrer' pela primeira vez em 2002, eu "tinha a certeza que" estava muito feliz comigo mesmo e pela vida que vivi até ali.

 

 

Mas! Só a gigantesca dor de ter ficado tetraplégico por falta de saber como administrar minhas próprias emoções e entender a dos outros, foi capaz de abrir minha mente como nunca antes, para compreender a complexidade das emoções e como se faz para saber viver, plenamente.

 

Hoje estou em um nível de autoconsciência desejável, aliado a um conjunto de aprendizado sobre autoconhecimento profundo, mais uma série de outros conhecimentos extremamente benéficos, que me permitiram aplicar para reinventar a minha identidade e experimentar a maior quantidade possível de estados emocionais positivos.

 

Abandonei os malditos, maiores e piores pensamentos com reações automáticas explosivas, que me prejudicavam e instalavam "o perigoso vírus" do estado emocional negativo. Puro estado mental infectado de improdutividade e infertilidade, que promovem bloqueios parciais ou totais de acesso aos nossos recursos internos e travam, limitam o real potencial disponível.

 

 

Foi por essa "cegueira e por não dar a devida atenção para o meu SER" que eu cometi os maiores erros que destruíram pouco a pouco, todo o FAZER e TER que construí até meus 40 anos de idade.

Não bastou meus 135 de Q.I.; não adiantou eu TER passado em 1º lugar na Polícia Federal; não resolveu eu FAZER um monte de coisas desconexas de um SER incongruente com o que, pensa, sente, fala e faz, sem saber o que era importante para mim, por quais valores e princípios eu devia seguir; para TER construído uma empresa de transportes em 1991 que atendia só a cidade de Curitiba e em 2002 já atendia 350 cidades, sem a sustentabilidade de minha mente treinada e configurada, primeiro em meu SER, com as habilidades e competências necessárias para a tomada das ações corretas. 

 

Como eu não entendia como eu funcionava, quais eram meus limites, porque eu fazia o que fazia e muito menos quais traços de personalidade e que emoções me governavam. Eu era incapaz de autogerenciamento das minhas emoções.

 

 

E saiba, antes de ficar tetraplégico! Eu tinha uma alta autoestima exagerada, tinha uma autoconfiança imensa, e era otimista até além da conta! Se eu fosse um cara com baixa autoestima e não acreditasse em mim, seria outro final. Creio que eu teria resultados provavelmente muito melhores, pois eu iria buscar me livrar desses sentimentos de falta de autoconfiança e tudo mais, certamente iria me ajudar na complexidade que as emoções possuem em todas as áreas da vida e não passaria por todo esse perrengue de tragédias e desencontros. 

 

 

Portanto, ao morrer de fato da próxima e última vez, estarei em equilíbrio e em paz, completo de amor, bem mais preparado dessa vez para essa ocasião. Apesar de ir contrariado por querer que a vida que tenho agora fosse eterna; mesmo após ter ficado tetraplégico.

 

 

Sei que deixarei de existir, por isso, independente de qualquer coisa, nessa reta final, decidi que serão os melhores dias de minha vida. Terei orgulho das minhas atitudes porque agora sou um eterno aprendiz e jamais irei me envergonhar ao fazer uma escolha importante.

 

 

Não vou mais ser reativo, eufórico, intempestivo, arrogante, inconsequente, ingênuo ou arriscar de mais, afundado em emoções viciantes, sem saber que cada emoção e sentimento, demonstra claramente o que autocorrigir.

Como eu posso afirmar que já morri uma vez? É porque em 18/03/2002 às 13h45 da tarde, numa segunda-feira com um sol brilhante e algumas nuvens no céu... Ao receber um tiro no pescoço, ou melhor, acreditei fortemente que morreria naquele momento.

 

 

Depois de experimentar dolorosamente as fases da negação, raiva, revolta, aceitação e superação, por ter ficado tetraplégico, resolvi voltar a viver intensamente, e consegui de uma forma que eu jamais imaginei que fosse possível. Então eu garanto que a vida merece ser vivida em quaisquer circunstâncias.

 

 

Se naquelas condições tão desfavoráveis, eu consegui, qualquer um conseguirá também. Desde que pratique a auto-observação e se torne autoconsciente. Esse é o início de tudo, até passar por um processo que vá bem além de aprendizado - TER o maior domínio possível do seu SER - para FAZER escolhas e ações corretas, conforme sua personalidade e individualidade reconhecidas em termos dentro da descrição detalhada sobre quem você é, e sua real IDENTIDADE.

 

 

É necessário esforço e dedicação, mas a recompensa será uma montanha de poderosos estados emocionais positivos.

 

 

Depois de partir... Mesmo depois de várias gerações, onde não exista mais nada de mim que me faça ser lembrado e nem sequer alguém me reconheça em algum retrato meu... Mesmo assim, meu amor estará impregnado em alguma coisa, em um de meus textos, na transformação das pessoas, pois eu quero inspirar o outro, sendo um bom exemplo, ao viver e praticar o que ensino.

 

 

Amo intensamente a vida, amei e amo muito as outras pessoas e vou deixar essa prova de Amor.

 

 

Adriano Lachovski

www.tetracoach.com.br